Dicas - A Nova Pirâmide Alimentar
 
A nova pirâmide alimentar, proposta pelo Departamento de Nutrição da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, tem como base os exercícios físicos e o controle de peso. De acordo com os pesquisadores deste departamento, o antigo modelo teria sido responsável pelo aumento do número de obesos nos Estados Unidos, porém surgiram controvérsias com relação ao assunto, uma vez que os nortes-americanos não seguiam à risca as indicações da pirâmide, exagerando no consumo de fast foods. O novo modelo coloca os carboidratos complexos no topo da pirâmide, entre outras modificações. Saiba mais:
• Na base da pirâmide estão os exercícios físicos e o controle de peso; depois, debaixo para cima, como apresentado na figura abaixo, vêm os carboidratos integrais, como pães e arroz, juntamente com os óleos vegetais; a seguir estão as frutas, vegetais e, logo acima, as leguminosas, castanhas e amendoins. No patamar acima, estão apontados peixes, frango e ovos, seguidos pelos laticínios; no topo da pirâmide encontram-se as carnes vermelhas, manteiga, macarrão, arroz branco, pão branco, e doces. Vitaminas e quantidades moderadas de bebidas alcoólicas são permitidas;
• A disposição de atividades físicas e controle de peso, como base da pirâmide, foi aprovada pelos profissionais da saúde, sem restrições, especialmente devido aos malefícios comprovados que o sedentarismo ocasiona à saúde;
• A nova pirâmide causou, porém, algumas controvérsias. Além do que foi comentado acima, outra questão importante é com relação ao baixo consumo de carboidratos, que divide o patamar com óleos vegetais, sugerindo um consumo significante de lipídios.
• A incorporação de carboidratos integrais é aconselhável, porém representa uma realidade que é fracamente seguida pela população em geral;



 .: REDE SAEN :. Segurança Alimentar, Ensaios e Normas  -  Todos os direitos reservados